Tags

, , , , ,

No último dia 21 de maio este que vos escreve completou seus primeiros 39 anos de vida. Agora mais um ciclo e chegarei, espero, aos 40. Vou aproveitar este primeiro farelo pós-festa para passar a limpo algumas notas mentais que tem me acompanhado e que, acredito, são bem sintetizadas no título deste 171 de hoje: fazer é mais importante do que planejar. Mas, antes mesmo de começar, já vale um lembrete de que, de maneira alguma, estou desmerecendo os planos, pelo contrário, considero-os essenciais. Mas eles, de forma alguma, garantem a sua própria execução e, tampouco, uma execução adequada e satisfatória, como sempre se espera. Mas, planos perfeitos que ficam no papel ainda são menos desejáveis do que planos feitos às pressas, corridos, incompletos… mas que são experimentados, vividos, realizados.

Se este relato se escora no dia específico em que completei 39 anos de idade, cabe dizer que foi em grande estilo. Acordei com um abraço coletivo e desejos de parabéns de minha família e amigos, representados respectivamente pela minha esposa e por um casal de amigos brasileiros radicados na Europa já há mais de uma década, além de seus dois filhos encantadores. Foi em Strasbourg, de lá viajamos para Reims, na região de Champagne, também na França. Viajar no dia do meu aniversário, acho que combina comigo.

Já em Reims, almoçamos em um restaurante de alta gastronomia, nem acho que combina tanto comigo, mas a gente tava a fim de experimentar para ver qual era. Acabamos preferindo a comida de um outro bom restaurante que havíamos ido meio que por acaso e adoramos, na mesma semana, porém ainda assim valeu a pena, pelo requinte, pelo atendimento, pelas várias sessões de provas, texturas e sabores. Não foi instigante, mas foi curioso. Continuando a comemoração gastronômica e turística, fomos visitar a casa de champagne Mumm, que até recentemente era a garrafa estourada pelos vencedores dos GPs de Fórmula 1. Passeio super interessante, depois conto mais em um farelo só sobre a viagem.

Para coroar o dia do aniversário, teve ainda música e cinema. Música pois da Mumm fomos diretamente ao festival La Magnifique Society para ver Camille, simplesmente a minha artista favorita em termos de apresentação ao vivo. Show da nova turnê, do álbum ainda não lançado “Oui”. Bastante diferente do anterior “Ilo Veyou”, mas igualmente intenso, surpreendente e cativante. Tanto que até hoje estou cantarolando músicas que só ouvi, até aqui, ao vivo durante os shows.

Eu disse antes que também teve cinema e este foi mais um presente. Um dos meus seriados favoritos, o finado Twin Peaks, obra de um dos meus diretores favoritos, David Lynch, em parceria com Mark Frost e que marcou e transformou a TV americana no início dos anos 90, foi retomado, profeticamente 25 anos depois. A data do primeiro episódio da retomada? 21 de maio de 2017. Obrigado aos realizadores, só hoje, uma semana depois, pude ver os dois primeiros episódios, mas ainda assim sinto-me grato pela coincidência.

É evidente que para ter vivido o que eu posso chamar de um dia perfeito exigiu planejamento. Começou por seguir uma ideia inicialmente maluca, sussurrada há poucos meses atrás pela minha esposa. Enquanto montávamos roteiros e alternativas para as nossas férias, que cobririam o dia do meu aniversário, ela sabendo que eu gosto muito de música ao vivo e da Camille, disse: “veja se não tem um show da Camille durante as férias em algum lugar”. Calhou de ter e não apenas durante as férias mas exatamente no dia, foi então que decidirmos ir e planejamos as férias em torno disso. Mas não só planejamos, nos preparamos, investimos e vivenciamos. E foi inesquecível. Começou como uma ideia, terminou como um sonho se transformando em realidade, com aquele tecido próprio que os sonhos tem, mas com o brilho nos nossos olhos que só a vida vivida pode proporcionar.

Agora estou de volta, cheio de energia, renovado, sonhando com tantas outras coisas, com tantos outros planos na cabeça e alguns até no papel. E muitos destes sonhos tem a ver com este espaço, tanta coisa que planejo e não faço. E isso é algo que eu realmente quero que seja diferente, como algo a ser feito ainda durante este próximo ano. Quero ver o meu projeto de vídeos nascer, quero dar sequencia nas entrevistas de pessoas que tenham algo a dizer, quero falar mais de coisas relacionadas a minha atividade profissional, quero esfarelar mais sobre música, cinema, TV e esportes. Quero dar muito mais dicas de viagem – e acho que posso realmente ajudar outras pessoas com isso. Quero até falar mais de política e filosofia. Enfim, este é o meu espaço, o meu diário, o meu catálogo, onde registro as coisas que são importantes ou interessantes para mim. E fazer isso com mais tempo dedicado, com mais entrega, com mais paixão, com mais intensidade, será o meu presente para mim mesmo. Por mais farelos, feliz aniversário.

Anúncios