Tags

, ,

Dedico este 171 a Be e a Nicole.

Este foi um final de semana atípico. Duas amigas fazendo aniversário, uma alcançando seus quarenta e a outra o esplendor dos seus primeiros 365 dias. Foi atípico também porque envolveu uma certa logística para estarmos presentes, minha esposa e eu, a estes dois aniversários, um no sábado a noite (e sexta e domingo…, a festança não parava, uma hora de festa para cada ano completado pela aniversariante) e outro no domingo a noite, separados por mais de mil quilômetros, um em Campo Grande-MS e outro Santo André-SP. Só no domingo passamos por sete cidades, acordando em Campo Grande, viajamos as quase 6 da manhã – já no horário de verão – para chegarmos em Guarulhos, dali para nossa casa em Osasco onde descansamos para seguir para a festinha, passando por São Paulo, São Bernardo e, finalmente, Santo André…

O que falar da Beatriz? Primeiro dizer que é uma benção ser seu amigo e que foi muito bom poder participar deste seu momento, a comemoração em 40 horas dos seus 40 anos. Foi ótimo te ver tão feliz, rodeada por familiares e amigos, uma reunião festiva em clima de casamento… o casamento da Be com a Bia, da menina que celebrou a infância, o passado, as lembranças, com a mulher madura que celebra a família, os filhos, as conquistas, os amigos, o presente e o futuro. Que maravilha poder assistir ao seu título de miss brotinho, com direito a um remelexo de cabeça de fazer inveja a muita miss por aí. Que delícia acompanhar o seu vanerão dançado com o sogro. Que prazer ver sua homenagem aos seus pais e depois aos seus filhos. E que gostoso fazer parte da sua homenagem aos amigos. E todos estes momentos ali amalgamados para formarem seus quarenta anos, que como pudemos ver e viver, foram muito bem vividos.

O que falar da Nicole? Dizer que ela é ainda uma doce e linda criança, um bebê, que tem pais amorosos e dedicados, que há pouco tempo, quase dois anos, estavam se casando depois de uma já longa e abençoada relação. Dizer que depois do casamento oficializado, veio a gravidez que, meses depois, te trouxe ao mundo. É claro que você ainda não é ciente das bênçãos que já possui, agora, ainda com um ano, não é capaz de já se deliciar conscientemente com sua família, ainda não consegue ter amigos e suas intimidades e confidências, ainda não tem nem espaço para pensar em um dia construir a sua própria família, tanto que o coro de “com quem será” nem ecoou – ufa! – junto aos tradicionais “parabéns a você”.

E assim é a vida. O momento é o hoje e para alguns hoje é o dia de celebrar quarenta, enquanto para outros a vida acabou de começar. Hoje é, ao mesmo tempo, dia de despedidas e de chegadas. Hoje é, ao mesmo tempo, dia de tristezas e de alegrias. E é assim que é, pois há a tão falada “explosão de tantas vidas” e cada uma, uma singularidade, uma história de vida. A Nicole ainda vai se deparar com seus quarenta, vai olhar para trás e enxergar seus amigos, os de infância, os de faculdade, os do trabalho… ainda vai olhar para seus pais ainda mais grata e com admiração, é bastante provável que construa sua própria família, tenha seus próprios filhos. A Be ainda vai se deparar com seus quarenta e um, vai sempre poder recordar de seus primeiros anos em Cel Sapucaia, daquele outro mundo em que viveu, do início das experiências ao ir para a capital, ao ter que se reinventar mas sempre em busca de ser o que é só seu, o seu “eu”. E é assim que é a vida.

Não importa tanto qual é a fase que vivemos, quem são ou quem foram nossos amigos, como é a nossa família e onde estão os nossos pais, o que realmente importa é que a gente saiba valorizar o que foi, ser grato, ser generoso com o passado e deixá-lo nos formar mais firmes, fortes e vigorosos para os desafios do hoje e do amanhã.

Parabéns Be, parabéns Bia, parabéns Nicole. Muita felicidade a vocês, nestas datas queridas em que os calendários de vocês são zerados e um novo ciclo tem inicio. Escrevam essas novas páginas com zelo, pois não importa se tens 40 ou 1, a vida exige plenitude todo dia.

Anúncios